domingo, 8 de março de 2009

Déjà vu ao revés

Estagnado no tempo sem muito a pensar
Lembranças fúteis, inúteis, mas lembranças
A sensação de que aquilo já ocorrera,
Mas algo de estranho estava acontecendo.

Continuo a vagar nos poucos pensamentos
Várias interrogações surgem.
Por que será que isso acontece?
Será coisa do inimigo lá de baixo?
E a resposta logo vem a mente(ira).
Loucura? Pode ser, mas uma loucura que pasma.

Aquilo nunca ocorrera não naquela intensidade
Simplesmente foi uma visão do que iria acontecer.
Pois é, profetismo, déjà vu ao revés, seja como for.
Mas foi a única explicação razoável(mente louca) para o que acontecera.



Autor: Igor Monteiro.

5 comentários:

José Minervino Neto disse...

Fala, Igor! Tenho dois blogs, aquele q vc visitou é um webfólio. Mas o meu mesmo é o
www.deusinvisivel.blogspot.com

Curti demais seu blog, as poesias que li são ótimas.

Vou adicionar o seu a minha lista.

Abraço!

Luana Tavares disse...

olá Igor, que bom que você gostou do blog, olha cara dei uma olhada no teu e gostei muito, vamos manter contato!

Abraços!

Flor disse...

Oi Igor, vim agradecer a visita ao meu blog e dizer q adorei o seu!
Voltarei + vezes, pod espera! =)

Bjos!

Ah, tá linkando tb o seu blog! =D

=**

Sara Albuquerque disse...

Selinho para vc na Fábrica. :)

Artuzinhu disse...

ta viajando legal pço!

gostei

 
;