domingo, 26 de abril de 2009

Putas memórias, putas

De qualquer lugar ela veio
A nenhum lugar ela vai
Ela não pára no meio
Não quer ínicios nem fim
Sabe se olhar em espelhos sujos de sangue, e simplesmente fingir que é amor!
Ainda assim, ela lambe suas feridas
E enquanto dorme, se mantém acordada!
Sonhando em cores
Vivendo em quadros brancos
Oh! Ela é um papel!
Não espera por finais felizes, apenas busca o incerto...
E o certo vai passando...
Todos fingem olhar para o lado
E o que se chama de dia,a noite vai levando.
Ela está tranqüila,
As putas não estão parindo!
Se as putas choram,as putas gritam!
As rosas estão por perto...
Não peça perdão, o furor está diminuindo...
As putas pertencem o paraíso...

Autor: Bárbara Calazans

Um comentário:

willa Albuquerque disse...

Independentemente, (eu acho que)todos
nos pertencemos ao paraíso.

Beijos^^

 
;